Tropicália

Tropicália

É geleia-geral, é a terra em transe. É a Tropicália – brutalidade e jardim, como escreveu Torquato Netto.

“O Movimento tropicalista foi um movimento cultural brasileiro que surgiu sob a influência das correntes artísticas da vanguarda e da cultura pop nacional e estrangeira; misturou manifestações tradicionais da cultura brasileira a inovações estéticas radicais. Tinha objetivos comportamentais, que encontraram eco em boa parte da sociedade, sob o regime militar, no final da década de 1960. O movimento manifestou-se principalmente na música”

O Show Tropicália com Lucio Sanfilippo e Marina Iris, revisita um movimento que sacudiu o ambiente da música popular brasileira.

A dupla, que começou sua parceria em espetáculo de homenagem a Paulo Vanzolini, volta aos palcos apresentando um repertório de clássicos do movimento estético surgido na década de 60. Panis e Circenses, Alegria Alegria e Domingo no Parque e Todo dia é dia D, A voz do morto, Refazenda são algumas das músicas escolhidas.

O Show Tropicália estreou em Agosto de 2015 na Sala Municipal Badem Powell, em Copacabana, e em Setembro o Show Tropicália fez parte da Festa Maracangalha – festa que, com 07 anos de existência, passeou por diferentes lugares do Rio de Janeiro (Gafieira Elite, Cordão da Bola Preta, Cine Ìris, Circo Voador, Fundição Progresso, Casa Rosa, Museu de Artes do Rio de Janeiro) inaugurando espaço no cenário carioca para se curtir, redescobrir, dançar e se deliciar com tudo de bom que é a música brasileira.

É 2016, rede-geral-geleia-social. É a terra em transe nossa de cada dia. É a necessidade do contra-careta tão urgente, atual. E, até por isso, é a Tropicália!

“Eu tinha feito um show com repertório tropicalista faz alguns anos. Ouvi falar que a Marina também pensava em fazer – ou tinha feito – um espetáculo com o mesmo perfil. Como sou fã da Marina e eu estava com saudade desse repertório que casa muito bem com o necessário momento de rompimento de posturas tolhedoras de liberdades e diferenças, chamei a Marina pra fazer o show. Já havíamos conversado outras vezes sobre a ideia. Ela topou de imediato e o show nasceu! Era a hora certa.” Lucio Sanfilippo

“Tentei fazer uma conexão com os tempos de hoje e apontar a modernidade e a caretice como aspectos marcantes de nossos tempos. É para evidenciar que o grito por liberdade e quebra de padrões proposto pela Tropicália se faz atual e necessário nos tempos de hoje” Marina Iris.