Lucio Sanfilippo

  • Home
  • /Lucio Sanfilippo

Lucio Sanfilippo

Com 22 anos de carreira, o cantor e compositor Lucio Sanfilippo é um artista dos mais comprometidos com a cultura popular brasileira. O repertório de ritmos variados – samba, jongo, maracatu, ciranda, coco etc -, registrado em dois discos solos, é acompanhado de danças típicas e interpretado pela voz tenor apurada por técnicas de canto lírico.

Seus shows, aulas, artigos e agora seu primeiro livro – “Interdiciplinando a Cultura com o Jongo”, estão impregnados de brasilidades, aquelas que verdadeiramente representam seu povo e o reverenciam, sempre celebrando as felicidades que o brasileiro constrói e reconstrói diante de tanta contradição.

Começou a estudar canto lírico em 1992, com a professora particular Ivone Zita, que lecionou no Conservatório de Música da UFRJ. É jornalista e professor de Educação Física.
Foi finalista do Festival 20 Anos do Projeto Seis e Meia do Teatro João Caetano. Realizou shows em tributo à Velha Guarda da Portela (1995), à Clara Nunes, com o conjunto O Roda e Aracy de Almeida, com a cantora Thereza Moraes (1997).

Por quase dois anos homenageou compositores no restaurante Ernesto, às segundas-feiras, e já contou, neste projeto com a presença generosa de Wilson Moreira, Xango da Mangueira, Jongo da Serrinha e Beth Carvalho.

Participou do Laboratório de Programa de Culturas populares com ênfase no Folclore do instituto de educação física e desporto da UERJ, em que se apresentou para Ariano Suassuna e D. Neuma da Mangueira cantando cirandas, sambas, choros, maracatus, cocos do rico folclore brasileiro.

Em 2000, a convite de Lenildo Gomes, Bandolinista do Dobrando a esquina, gravou o CD “Cordel ds fitas” com as suas composições e de Luis Flávio Alcofra, violinista do grupo Água de Moringa.
No ano de 2002, participou do ciclo de comemorações do centenário do cantor e compositor Carlos Cachaça, com apresentações no Teatro Carlos Gomes e no GRES Estação Primeira de Mangueira.

Ganhou duas Moções da Câmara Municipal do Rio de janeiro, que lhes foram entregues: uma, em reconhecimento por sua ativa participação no renascimento da Lapa, iniciado em 1997 e outra, por reconhecida a importância do seu trabalho com a cultura popular. (2004/2006)

Em 2005, lançou o CD “Canções de amor ao Léo”, pelo selo Zambo Discos, em um espetáculo no teatro Odylo Costa, na UERJ. O disco contou com arranjos de Ana Costa e João Hermeto e com participação de ícones da cultura popular, como, Tia Maria do Jongo, o grupo Razões Africanas (Jongo da Serrinha), Lia de Itamaracá e o Coco de Umbigada de Paratibe Paulista/PE e o grupo Roda de Saia.

Apresentou-se como convidado do grupo Manga de Colete, juntamente com Patrícia Oliveira, do Rio Maracatu, no tradicional baile de carnaval do Copacabana Palace e desde então, se apresenta todo ano no Baile fazendo o Show da Varanda. .

Em 2009, representou o Brasil no “Festival de músicas e danças tradicionais Caribenhas”.

No ano seguinte, foi convidado pelo grupo Coisa e tal e pela cantora Marina Iris para uma série de shows em homenagem a Paulo Vanzolini.

Participou do Filme “Conquém” – direção Rafael Eiras, como puxador do Bloco de Maracatu e fez a trilha musical.

Em 2010 apresentou-se, semanalmente, ao lado do grupo Razões Africanas (Jongo da Serrinha) no Trapiche Gamboa, onde lançou o CD “A flor do velho engenho“, cujo o título foi tirado do Ijexá homônimo que compôs para homenagear sua avó de santo Nitinha de Oxum, falecida no início de 2008.

Em 2012, em comemoração aos seus 18 anos de carreira, em Santa Teresa, bairro onde mora a 37 anos, fez o espetáculo “ A Flor do Velho Engenho” com participações de Ana Costa, Moyses Marques, Marina Iris, Lysia Leal, Clarisse magalhães e Cia de Aruanda. Contou com a contribuição do seu público para captação de verba para produção e realização do mesmo através do site Catarse, com muito sucesso, ultrapassando as expectativas de valores e carinho.

Em junho de 2012, fez participação na Arena da Rio+20 junto com Rita Ribeiro, Rio Maracatu e DJ Mam.

Em agosto de 2013 gravou o Dvd comemorativo de 21 anos de carreira no Sesc Nova Iguaçu que contou com a participação da Companhia de Aruanda. O projeto será lançado no segundo semestre de 2015 e contará com extras com Ana Costa, Moyseis Marques, Marina Iris, Razões Africanas, Tia Maria do Jongo e Adriano Furtado.

Em fevereiro de 2014 lançou a temporada de Shows em comemoração aos 20 anos de carreira no Teatro Rival Petrobras, com lotação esgotada.

Fez uma temporada pelos Sesc do Rio de Janeiro fazendo participação especial no espetáculo “Fuzuezinho”, da Companhia de Aruanda.

Em setembro e novembro de 2014 participou do Projeto Dia de Zumbi na Caixa Cultural de Brasília e no Rio de Janeiro.

De janeiro à março de 2015 fez uma temporada de Shows pela Casa Sarau Rio.

Em fevereiro de 2015 lançou p projeto Kit 21 de arrecadação coletiva para viabilização do Dvd Cordel, Flor e Canção – 21 anos de carreira, 1 disco de músicas próprias e 1 disco de músicas do jornalista, pesquisador e compositor Luiz Antônio Simas.

Em março de 2015 lançou seu site oficial num Show especial no Trapiche Gamboa.

Em julho de 2015 fez o Show de abertura do evento Carnavália Sambacom, com participação especial da cantora Alcione.

Em agosto de 2015 dividiu novamente o palco com a Cantora Marina Iris no Show Tropicália, apresentando um repertório de clássicos do movimento estético surgido na década de 60.

Em dezembro de 2015 lançou o disco “Do Reino da Pedra Miúda” cantando composições de Luiz Antonio Simas na Sala Badem Powell e no Trapiche Gamboa.

Em janeiro de 2016 lançou o disco “Do Reino da Pedra Miúda” cantando composições de Luiz Antonio Simas no Quilombo do Grotão.

Lançará o Dvd Cordel, Flor e Canção – comemorativo dos seus 21 anos de carreira no primeiro semestre de 2016.